5 dicas para ser um bom líder

A habilidade para liderança não surge automaticamente com o título de gerente, supervisor ou líder. Para tal é preciso um conjunto de atitudes e posicionamentos importantes. Hoje, destaco 5 dicas para que você seja um bom líder:

1.Comunique

Em artigo anterior, já mencionei a importância da comunicação na relação entre um líder e um liderado e falei como a interação pessoal pode evitar que haja uma bola de neve de erros dentro da organização. Agora, expando o que foi dito anteriormente e respondo a seguinte pergunta: Como se comunicar?

“A comunicação se constrói sobre relacionamentos de confiança” e, para que essa confiança seja instaurada, é preciso que o seu ouvinte se sinta confortável com a situação. Se ele fizer uma declaração que você considera estar errada, é melhor começar dizendo: “Bem, veja, eu acho outra coisa, mas posso estar errado. E quando estou errado, gosto de ser corrigido. Vamos examinar os fatos?”

Estabelecer um diálogo eficaz é importante também para que a pessoa te veja como um indivíduo a ser respeitado e não apenas temido. Ou seja, te confere uma liderança autêntica, não baseada em títulos.

2.Inspire

Como coloca o autor Napoleon Hill, “objetivo é um sonho com prazo de conclusão”. Pessoas que estabelecem objetivos desafiadores, mas alcançáveis, têm uma compreensão sólida do futuro. Elas realizam coisas extraordinárias e “o líder é alguém que consegue levar um grupode pessoas a um lugar aonde elas mesmas não acreditam que sejam capazes de ir”. Sendo assim, evidencie os talentos das pessoas e reconheça publicamente a dedicação, os esforços e os sucessos delas.

Além disso, lembre-se: a energia com empolgação é contagiante. Seja positivo, para cima e otimista. Espere grandes coisas de sua equipe e eles darão o melhor para não desapontá-lo. Um líder de verdade sabe como se concentrar naquilo que está dando certo, mesmo quando parece que tudo o mais está dando errado e ele deve aceitar a responsabilidade e cuidar do problema de modo a realizar as mudanças.

Ser o capitão do navio é uma maneira de obter a estima e o respeito dos colegas e empregados. Isso é o que realmente significa ser admirado no trabalho. É importante ter em mente que, para alcançar o sucesso, é preciso dar um passo por vez.

3. Trabalhe duro

A Disney criou algo que levou milhões de pessoas, por várias gerações, a seguir seu sonho. Isso é maestria em liderança de um tipo singular, especialmente por seus seguidores terem se divertido tanto. Ter interesse sincero nas pessoas, otimismo, animação, criatividade e a capacidade de superar o desapontamento ou o fracasso são marcas do talento em liderança.

Líderes eficientes estabelecem o tom para toda a organização. Não é uma questão de saber mais do que os outros. Muitos líderes não são os maiores especialistas de suas empresas. Liderar significa trabalhar duro, algo que qualquer um pode fazer.

Trabalho duro sempre vence talento preguiçoso, e trabalho duro talentoso passa por cima de qualquer coisa. Portanto, acerte seu despertador. Acorde mais cedo.

4. Questione

Mas questionar não é sair por aí perguntando qualquer coisa, FAÇA AS PERGUNTAS CERTAS:

  • “Em que você gostaria de melhorar?” é uma pergunta que o líder deve fazer constantemente.
  • “Qual rumo você quer que sua carreira tome a partir deste ponto? Que tipo de responsabilidades você gostaria de assumir?” É função do líder fazer essas perguntas e respondê-las de maneira a ajudar os integrantes da equipe a alcançar seus objetivos individuais.

Em outras palavras, agora você precisa comunicar a confiança que deposita nas habilidades deles. Deve fornecer-lhes padrões que sua empresa[ espera ver cumpridos ou superados, além de mostrar publicamente sua apreciação quando isso acontecer. Para um líder organizacional eficiente, o sucesso da equipe é igual ao sucesso pessoal. Qualquer outra coisa é inaceitável.

5.Arrisque

Assim como questionar, arriscar deve ser algo pensado e estratégico. O desenvolvimento ótimo ocorre quando um organismo comete o número máximo de erros que condizem com sua sobrevivência: “Quanto posso perder nesse negócio? Com que gravidade posso me machucar? Qual a relação entre riscos e possível benefício?”

Existem problemas reais no mundo real. A maioria deles tem solução, mas sempre haverá questões além do seu alcance. Aprenda a aceitá-los e siga adiante. William James afirma que “a aceitação daquilo que aconteceu é o primeiro passo para superar as consequências de qualquer infortúnio”. Riscos são riscos e existe a chance deles darem errado, por isso é importante que eles sejam calculados. Caso isso ocorra, Nietzsche escreveu: “Aquilo que não me mata me torna mais forte” e, depois que estiver fortalecido, a melhor maneira de se recuperar depois de cair do cavalo é voltar a montá-lo.

No final, como diz o velho ditado, “os cães ladram e a caravana passa”. Portanto, seja qual for o caso, não são as circunstâncias em si que nos tornam felizes ou infelizes. “A vida é uma aventura ousada ou não é nada.” Riscos são necessários.

Referência:
CARNEGIE, Dale. “Liderança – Como superar-se e desafiar outros a fazer o mesmo.” Companhia Editora Nacional, 2012.

Leia mais sobre:
Post anterior
Vendas do futuro
Próximo post
Microsoft Teams e a produtividade no conjunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu