A nova era digital e a Indústria 4.0

Figura 1: na ilustração de David Parking, empresas de tecnologia são colocadas como plataformas petrolíferas.

 A frase “Dados são o novo petróleo” (em inglês, “data is the new oil”), foi criada por Clive Humby, um matemático londrino especializado em ciência de dados, e podemos dizer que a quarta revolução industrial é definida por essa frase, representando uma mudança radical para as empresas. Nessa realidade, a atenção não está mais voltada para a massa de consumidores, mas para o comprador individual, que determina a dinâmica da produção com suas escolhas.

A Indústria 4.0 é baseada nas tecnologias de manufatura digital, que devem ser adotadas pelas empresas para obter todas as vantagens desse fenômeno. Ou seja, o uso de Internet das Coisas (IoT), Big Data, Cloud Computing ou robótica para aprimorar os modelos de produção.

A mudança de paradigma: novos recursos e oportunidades

A Indústria 4.0 e, em particular, a IoT, trazem consequências importantes e novas necessidades em termos de recursos, competências e trabalho. Através delas, as empresas aumentam a produtividade, utilizam os recursos de forma mais eficiente, reduzem o impacto ambiental e lançam as bases para uma melhor qualidade de vida. Entretanto, o mercado de trabalho e as competências exigem uma mudança considerável: o nível de complexidade elevado implica na necessidade de profissionais qualificados para a execução de tarefas. Além disso, essas mudanças levam ao aumento da demanda por espaço de armazenamento de banda larga e ferramentas de segurança de dados.

Indústria 4.0 e o novo mundo inteligente

Fábricas inteligentes, cidades inteligentes, agricultura inteligente

Figura 2: esquematização do Sistema Cyber-Physical.

A Indústria 4.0 significa mudança para todas as empresas e a adoção de máquinas robóticas automatizadas e inteligentes, capazes de tomar decisões independentes interagindo com o ambiente. A fábrica inteligente se resume a tornar a empresa inteligente com a entrada do Sistema Cyber-Physical no qual a força humana ainda é necessária, mas não mais fundamental. O resultado é um processo de produção mais eficiente.

Hoje, a Indústria 4.0 também é utilizada em Cidades Inteligentes, que se baseiam no desenvolvimento sustentável para garantir uma alta qualidade de vida aos seus habitantes. Nesse caso, a IoT é aplicada a serviços de logística e mobilidade inteligente (IoS) e ao uso de recursos naturais (IoE). É claro que a Indústria 4.0 agora é parte integrante do fenômeno, a fim de criar sistemas de produção ainda mais eficazes.

A indústria 4.0 também se aplica à agricultura de precisão: a automação de atividades de produção não relacionadas e sua integração com outros processos internos da fazenda. A agricultura de precisão e a Internet da Agricultura estão estritamente relacionadas à Agricultura 4.0, ou seja, o uso interligado de múltiplas tecnologias para culturas sustentáveis, maior qualidade de produção e processamento e melhores condições de trabalho.

As vantagens da Indústria 4.0: controle, decisões, custos

Nas fábricas inteligentes, bem como no caso de cidades e fazendas inteligentes é fundamental analisar e ter uma visão geral da situação e apenas a nuvem e as tecnologias IoT, que comunicam constantemente máquinas e softwares de gestão, podem atender a essa necessidade. O gerenciamento de dados é possível por meio de uma atividade precisa de Big Data Management.

O papel e valor do Big Data e de outras tecnologias é dado principalmente pela possibilidade de tomar melhores decisões e melhorar o processo de gestão estratégica das decisões económicas que caracterizam o dia a dia de cada empresa, desde as PME à multinacional. Precisamente os dados representam hoje os mais importantes ativos de informação empresarial e permitem aumentar a eficácia e eficiência.

As tecnologias da Indústria 4.0 permitem que as empresas reduzam custos. Com a computação em nuvem, as infraestruturas de TI podem ser acessadas remotamente, eliminando custos de equipe, bem como comprando e mantendo hardware. Ademais, os sensores IoT permitem construir modelos preditivos e sinalizar anomalias e falhas das máquinas com base em estimativas em tempo real ou informações históricas, evitando o tempo de máquina parada.


Portanto, a Indústria 4.0 é condensada na noção de utilizar as mais recentes tecnologias digitais para melhorar o cenário no qual elas são inseridas, sejam quanto ao cotidiano das cidades ou ao mercado, não importa em qual ramo a empresa esteja. Ficou interessado para saber mais sobre isso? Fique ligado no blog da Niteo para entender melhor sobre o que ela compreende e abrange com mais detalhes. Em breve, lançaremos casos práticos do que é a fábrica inteligente e exploraremos quais são as tecnologias mencionadas neste artigo.

Post anterior
Quem você será, Niteo?
Próximo post
Microsoft lança Azure Purview, seu novo serviço de governança de dados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu